A Atenção Primária em Saúde (APS) na resposta à pandemia de COVID-19

Compartilhar
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
  • Sobre o curso

    O curso A Atenção Primária em Saúde (APS) na resposta à pandemia de COVID-19 apresenta como as emergências em saúde pública testam a resiliência dos sistemas de saúde e exigem respostas rápidas, inovadoras e eficazes de governos nacionais e locais. O curso aborda também como a adoção de medidas urgentes para antecipar problemas, planejar e coordenar respostas, identificando áreas e grupos populacionais mais vulneráveis e diagnosticando precocemente casos positivos para tratamento e isolamento, pode ajudar a romper as cadeias de transmissão e preparar sistemas de saúde para mitigar o impacto do surto sobre a população. Os serviços de APS devem ter um papel central na preparação do sistema de saúde para resposta à pandemia de COVID-19. Porém, é preciso modificar o seu modo de funcionamento durante o período da epidemia.

    Você irá desenvolver:

    -entendimento sobre os papéis e funções da APS nos sistemas de saúde, diante de situações de emergência em saúde pública;

    -ampla visão sobre as características do modelo de APS brasileiro – a Estratégia Saúde da Família (ESF): oportunidades e limites para resposta diante da pandemia de COVID-19, e

    -conhecimento sobre as estratégias a serem realizadas no âmbito da APS, como a análise territorial, o monitoramento ativo de grupos de risco e o treinamento e a proteção dos profissionais de saúde.

    Público-alvo
    O curso A Atenção Primária em Saúde (APS) na resposta à pandemia de COVID-19 é gratuito e recomendado para gestores municipais de saúde e profissionais de nível superior que exerçam cargos de liderança nas organizações de saúde.
    Programa

    A Atenção Primária em Saúde (APS) na resposta à pandemia de COVID-19

    A Atenção Primária em Saúde (APS) na resposta à pandemia de COVID-19

     Emergências em saúde pública testam a resiliência de sistemas de saúde e exigem respostas rápidas, inovadoras e eficazes de governos nacionais e locais. A adoção de medidas urgentes para antecipar problemas, planejar e coordenar respostas, identificando áreas e grupos populacionais mais vulneráveis e diagnosticando precocemente casos positivos para tratamento e isolamento, pode ajudar a romper as cadeias de transmissão e preparar sistemas de saúde para mitigar o impacto do surto sobre a população. Na preparação do sistema de saúde para a resposta à pandemia de COVID-19, os serviços de APS devem ter um papel central. Contudo, é preciso modificar o modo de funcionamento durante o período da epidemia.

    Diante desse cenário, esta palestra tem como objetivo discutir os papéis e as funções da APS nos sistemas de saúde, diante de situações de emergência em saúde pública, e as características do modelo de APS brasileiro – a Estratégia Saúde da Família (ESF): oportunidades e limites para resposta diante da pandemia de COVID-19. Além disso, visa debater sobre as estratégias a serem realizadas no âmbito da APS: a análise territorial, visando identificar localidades e grupos populacionais de risco para a COVID-19; o monitoramento ativo de grupos de risco, principalmente de populações idosas e de moradores de instituições; a minimização do atendimento presencial de pacientes sintomáticos respiratórios nas unidades de APS; a manutenção de atividades de rotina para pacientes crônicos e, por fim, o treinamento e a proteção dos profissionais de saúde.

    Processo seletivo

    sem processo seletivo

    Não há processo seletivo para esse curso. Basta preencher sua ficha de inscrição.

Contato

To prevent automated spam submissions leave this field empty.